Ditos de Nanak, o Guru

O ser consciente de Deus é sempre imaculado, como o sol, que dá o seu conforto e aconchego para todos. O ser consciente de Deus olha para todos igualmente, como o vento, que sopra igualmente sobre o rei e o pobre mendigo.

Da mulher, o homem nasce. Dentro da mulher, o homem é concebido. À mulher ele está envolvido. Da mulher com que se casou, torna-se amigo. Através da mulher, as futuras gerações virão. Quando sua mulher morre, ele procura outra mulher. À mulher ele está vinculado, então, por que chamá-la de má. A partir dela, os reis são nascidos, a mulher é nascida. Sem mulher, não haveria ninguém. Ó Nanak, contudo, só o Senhor é verdadeiro sem uma mulher.

Realize a unidade com tudo e com todos. Ame a Deus. Ame a Deus nas pessoas. Cante o amor por Deus. Repita os Nomes de Deus. Cante Suas glórias. Ame a Deus como o lótus ama a água; como o pássaro Chatak ama a chuva; como a esposa ama o seu marido. Faça do amor divino a sua caneta, e de seu coração o escritor. Se você repetir o Nome de Deus, você viverá; se você se esquecer disso você morrerá. Abra seu coração para Deus. Entre em comunhão com Ele. Aconchegue-se nos Seus braços e sinta o Seu divino abraço.

Eu não sou negligente nem preguiçoso, mas muito ocupado em guardar meu próprio campo. Meu corpo é um campo. A mente, o lavrador. A retidão é o cultivo. A modéstia é a água para a irrigação. Eu tenho semeado o campo com a semente do Santo Nome do Senhor. O contentamento é minha colheita. A humildade é a sua cerca. As sementes irão germinar dentro de um bom campo com amor e devoção. Afortunada é a casa na qual semelhante colheita é feita! Ó senhor, o dinheiro não irá nos acompanhar no próximo mundo. Lá ele não possui nenhum valor, mas há poucos que entendem essa natureza ilusória.

Deus é um, mas ele tem inúmeras formas. Ele é o criador de tudo e Ele mesmo toma a forma humana. De seu brilho tudo é iluminado. Eu me curvo a seus pés constantemente, e orar a ele, o guru, o guru verdadeiro, me mostrou o caminho.  Ó Deus, minha mente está fascinada com teus pés de lótus, como a abelha pela flor; noite e dia tenho sede deles. 

Eu não sou criança, nem jovem, nem antigo, nem sou de nenhuma casta. Eu não sou nem homem nem mulher, nem sou assexuado. Eu sou o pacífico, cuja forma é auto-refulgente esplendor, poderoso. Eu não sou o nascido; como pode haver nascimento ou morte para mim? A morte não seria chamada má, ó povo, se alguém soubesse como realmente morrer. É salutar para a alma deixá-la meditar na solidão constantemente, pois aquele que medita na solidão atinge a felicidade suprema.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMENTE, DEIXANDO NOME E E.MAIL PARA CONTATO. OBRIGADO!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...