A pedagogia de Jesus em João 6,1-15

Por Julio Cesar De Lima
(Ir. Pascal, Obl. OSB)

Para qualificar nossa ação pastoral, sete atitudes podem ser aprendidas da narrativa que apresenta os discípulos de Jesus diante de uma faminta multidão: ver, julgar, agir, valorizar, organizar, avaliar e retirar-se.[1]

Ver. Ergueu os olhos e viu... Ser sensível às necessidades dos outros. Antecipar-se no servir. Jesus não esperou que a multidão lhe implorasse por comida. Mesmo porque era sabido que não dispunha de tanto alimento. Mas quem fica longe de casa sem se preocupar com o que vai comer? Jesus percebe que nos bolsos e sacolas havia comida.

Julgar. Onde vamos comprar pão... Jesus já sabia o que ia fazer. Contudo, ao questionar, pondo à prova seus companheiros, deles recebe respostas pragmáticas, desanimadoras e medrosas. Por fim, acolhe a resposta mais discreta, envolvente e disponível de um menino anônimo. É preciso testar para que as deficiências sejam reconhecidas e superadas.

Agir. Falem para o povo sentar... A resolução de um grande problema é possível, mas dá trabalho. Vão, mexam-se, tentem, experimentem, diria Jesus. Arregacem as mangas. Resolvam vocês mesmos. Superem seus medos e frustrações. Façam as pessoas sentarem-se para que não fujam. Peçam que reclinem para ver o que trazem consigo.

Celebrar. Pegou os pães, agradeceu... Pequenas ou grandes contribuições devem ser valorizadas. Cada um, contribuindo com o tudo que possui, trará a solução. Obrigado, Senhor nosso Deus, porque os pães se multiplicam; porque o milagre do partir e do repartir acontece; porque tu nos ensinas a possibilidade de sermos companheiras e companheiros.

Organizar. Distribuiu a quem estava sentado... Saber o que se quer. Contar com o auxílio de pessoas mais próximas. Gerenciar, coordenar, estando atento aos detalhes. Há momentos que dispensam discursos e pedem orientações práticas para que não haja bagunça. É possível também que nem todos se sentaram, porém, será que comeram?

Avaliar. Recolham tudo o que sobrou... Recolher o que sobrou é um cuidado de quem se preocupa com o todo do processo metodológico: o antes, o durante e o depois. Mais que as coisas materiais, é necessário recolher as experiências que cada pessoa fez: seus sentimentos, aprendizados, dúvidas e esperanças. Nada pode ser desperdiçado.

Partir. Retirou-se sozinho, de novo... Os elogios alimentam o ego. A vontade que dá é de acampar e permanecer em meio aos paparicos das multidões. Elas sabem que terão fome novamente, por isso o fazem. Mas Jesus não entra neste jogo. Retira-se novamente. Dá-se ao silêncio, também para escapar do assédio das multidões internas.

Referências
[1] BÍBLIA SAGRADA. Novo Testamento, João 6,1-15.

Um comentário:

  1. Gostei da ideia sobre simbologia. Falta mesmo. E, é urgente. Valeu pelo desafio. Quanto às citações bíblicas, é porque este Blog sintetiza todo o meu trabalho. E eu não trabalho somente com Ensino Religioso. São três assuntos diferentes. Veja o índice de cada assunto, no final da página, e diga-me qual tem mais postagens... Heheheheheheh Abração! Até a próxima aula.

    ResponderExcluir

COMENTE, DEIXANDO NOME E E.MAIL PARA CONTATO. OBRIGADO!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...